Foto: Divulgação Ipram (Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos).
Oi galera!

De tempo em tempo apareço na costa capixaba para apreciar a temperatura maravilhosa e a vista incrível. Desde julho de 2014, para ser mais específico.
Por obséquio, encontro pessoas jogando água em meu corpo e tirando fotos de mim. Não sou fotogênico e fico irritando com toda a atenção. Dizem que é de meu avô que peguei isso. Na verdade, eu não sei. Mas sei que sou assim.

Minha amiga trabalha no Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) e disse que vocês estão ligando para lá querendo saber o meu paradeiro ou “mais informações” sobre mim. Quero avisar que gosto muito do povo capixaba, mas nem eu mesmo sei para onde vou quem dirá os ambientalistas.Minha amiga também disse que sou facilmente identificado por marcas no corpo. São uns tubarões pequenos que fazem isso... Ah e o machucado no lado esquerdo foi tratado pelos meus amigos. Muito obrigado por todo o cuidado!

Achei graça quando fiquei sabendo que meu nome por aqui é Fred por causa do jogador de futebol que ficava parado no campo. Em minha defesa, só estive parado na superfície porque precisava descansar. No mar que é lugar de nadar, ué. Agora, vou pocar fora antes que alguém pergunte de mim (de novo). Sim! O pocar foi porque depois de tanto tempo nas redondezas aprendi um pouco do vocabulário.

Se quiserem, posso escrever mais vezes para contar algumas de minhas aventuras. Não sei se vocês lembram mas em fevereiro de 2016 estourei uma boia de banana. Venho pedir desculpas pelo ocorrido. A boia era do tamanho ideal de uma fêmea de minha espécie, ou era o que eu queria que fosse. Enfim, prometo não fazer isso se vocês não colocarem objetos tão atraentes em minha vista. Combinado? Minha semana de férias por aqui acabou. Lembrando que isso não é um adeus. Eu voltarei!

Agradeço muito o carinho de todos.
Beijos com gosto de polvo (minha comida favorita), Fred.