Pensando em tudo o que aconteceu esse ano e nas futuras realizações que estão para acontecer aceitei o desafio de fazer a tag que encontrei no Vacas Magras, da querida Am <3

A tag consiste em fazer uma lista com os melhores acontecimentos de 2016, m
esmo 2016 sendo um ano muito difícil para o mundo em geral, vejo que foi muito bom para mim. Sem ser egoísta, é que a lista é sobre realizações pessoais hehe


A lista serviu para eu olhar para o ano que passou e me sentir feliz e muito agradecida por todas as realizações. Não tá em ordem cronológica e nem por ordem de importância. Eu fui pensando e escrevendo mesmo.
 



1 - Fiz minha primeira tattoo    
Foram sete longos anos amando nuvens e desejando muito minha tatuagem na nuca até eu tomar coragem e fazer  

2 - Me arrisquei mais na vida.
No sentido de quando achar que algo não está bom, ir lá e mudar. Não ficar observando e deixando passar várias e várias vezes. Isso me influenciou no modo de enxergar e de lidar com os problemas. Aconteceram muitas coisas em 2016 que me deixaram mais confiante. Mais confiante para me arriscar e não só ficar ouvindo e achando chato e, sim, me afastar do que não acrescentavam nada e sugavam minha energia (que nem dementadores).

3 - Comecei a escrever mais um livro.
Sempre começo projetos de escrever livros, mas esse eu já consegui visualizar a história completa (início, meio e fim) e estou muito animada com o enredo. De uma forma que nunca estive antes com nenhum outro projeto de livro. Parece mais incrível e estou mais empolgada sobre.   Os dois primeiros capítulos estão disponíveis aqui :3

4 - Cortei mais o cabelo (e fiz a temida franja também).
Sempre tive cabelão grande (e claro, todo danificado nas pontas). Todo ano corto um pouco abaixo do ombro. Para as pontas irem embora, mas dessa vez cortei o mais curto que eu sempre tive. A vontade era cortar pixie cut. Então fiz um pixie um pouco maior e mais despojado. Depois de alguns meses do corte, fiz franjinha (que eu tinha muita vontade de fazer, mas não fazia porque da última vez que fiz -em 2012- eu não gostei do resultado e coloquei um post it no meu guarda roupa ~um lembrete simples: nunca mais cortar franja :B)

5 - Descobri o que quero fazer depois de procurar muito.

Eu nunca soube ao certo o que queria fazer do meu futuro. Sabia que queria escrever livros e pronto. Mas vejo um mundo novo vindo por aí que envolve totalmente o Utopia na Nuvem, e jornalismo e letras 


6 - Entrevistei muitas pessoas interessantes.
Em 2016, concluí o quinto e o sexto período de jornalismo. Para fazer as matérias das disciplinas pude entrevistar pessoas maravilhosas que me ensinaram muito e que me fizeram apaixonar ainda mais pelo ~ser jornalista~.

7 - Comecei meu primeiro estágio.
Em abril comecei a estagiar na minha área e a experiência foi muito gratificante. Até para ver se a área tem a ver ou não com quero fazer depois de formada. 

8 - Consegui conciliar duas faculdades e estágio.
Quando comecei a estagiar, além da faculdade pela manhã e a noite, minhas tardes também estavam ocupadas. Foi um desafio para mim e sinto que cresci como pessoa. Cresci no sentido de entender que o dia tem 24 horas e o que você faz com as horas é fruto seu (e problema seu também). Tem mais a ver com a pro-atividade. Com a necessidade de estar produzindo. Hoje, não me imagino sem as faculdades, ou sem o estágio na parte da tarde. Se não estivesse fazendo, seria como se estivesse faltando algo no meu dia.

9 - Me organizei e mais tranquila em relação as questões das faculdades.
Como faço duas faculdades e não gosto de nada feito nas coxas, consegui me organizar esse ano, bem mais do que em 2015. Fiz um bullet journal em que tudo o que eu precisa fazer, eu colocava lá (para eu não esquecer). Fiquei mais tranquila porque por não gostar de nada feito nas coxas, e por ser pró-ativa, quero pegar e fazer tudo no trabalho porque senão ele não fica perfeito (ou o mais próximo do que o que foi pedido). Em 2016 eu respirei fundo e falei: se for em grupo eu não vou pegar tudo e fazer sozinha, e não fiz. 

10- Tive um texto meu publicado no jornal A Gazeta.
Foi uma mini resenha sobre o livro que eu tava lendo na época da linda Lygia Fagundes Telles. Já já tem post no blog também.



11 - Voltei com o blog. Yaaay!  
Voltei com o blog de uma vez por todas e to gostando muito do ar de felicidade que essa nuvem transmite 

12 - Comecei o projeto @utopiananuvem.
Esse é um projeto que eu sempre tive vontade de fazer e pensei: porque não? Os primeiros passos foram atualizar o facebook e criar o instagram. Para seguir vem cá  Ah e o próximo post contará tudo sobre isso. Você confere o resultado abaixo. Se quiser, segue no instagram (:



13 - Fiz a primeira viagem ao norte do estado com o namorado 
Foi legal porque o lugar é muito frio e estávamos aquecidos. As fotos estão aqui e aqui 

14 - Fiz matérias que amei produzir e foram publicadas no jornal e no site da faculdade.
Desde a primeira vez que fui na faculdade fazer a matrícula e li o jornal laboratório coloquei na minha cabeça que queria ver meus textos publicados lá. Hoje, todos os meus textos das disciplinas estão no jornal Laboratório. Você confere eles aqui e aqui.

15 - Ganhei meu segundo prêmio na vida.
Em novembro ganhei meu segundo prêmio de crônica jornalística. A experiência não foi 100%, na verdade não foi nada legal... e tem post sobre isso ano que vem também :~ Se quiser ler a crônica, ela tá nesse link aqui ó.

16 - Me destaquei nas faculdades.
Fazer duas faculdades é uma coisa. Agora, fazer duas faculdades e ir bem em todas as matérias é outra coisa totalmente diferente do simples fazer. Vem do se esforçar e do querer ir bem em tudo o que produzir. No primeiro semestre consegui ~finalmente~ tirar a nota máxima em latim (as provas valiam 1 ponto e eu sempre tirava 0,9 --'). E ao longo do ano tirei notas muito boas nas disciplinas de jornalismo também. O que me mostrou que dá sim para dividir o tempo e fazer o máximo de si em todos os aspectos da vida. <3

E vocês? Tiveram muitas realizações no ano de 2016?
Convido você que está lendo para fazer a tag. Caso faça, deixa o link nos comentários para eu ler?


Beijos com formato de nuvens, Ingrid.