Com um som inconfundível, a máquina de costura deslumbrou as pessoas ao produzir em poucas horas o que os alfaiates e as costureiras demoravam dias e dias para confeccionar. Costurar uma calça jeans ou um vestido de noiva em 24 horas estava fora de questão. Era necessário bastante tempo para criar peças de roupas e o advento da máquina de costura promoveu a agilidade e rapidez na produção.

A costureira Maria Madalena Pereira se encantou pela máquina de costura aos 13 anos e conta que aprendeu a costurar com a mãe. Maria ganhou uma máquina pequena de plástico. Dentre os sete filhos que a mãe tinha, escolheu Maria para dar o presente. “Esse foi meu maior incentivo. Ela sentiu que eu seria costureira e faria isso por toda minha vida", afirma.

O primeiro contato de Eunice Costa com a máquina de costura foi após ver a mãe dela trabalhar noites em frente ao objeto. Quando a mãe percebeu que a criança gostava do que via, pegou um vestido da avó, fez um corte fácil, e ensinou Eunice como se costura. Com a mãe instruindo, ela aprendeu tudo o que sabe. “Com isso me apaixonei pela máquina de costura. Não podia ver ninguém costurando que eu estava por perto”, conta. 

Maria declara que a máquina de costura trouxe mais agilidade na produção de roupas. Antes para fazer uma blusa ou uma calça demoraria dias, hoje em poucas horas faz a roupa. Ela relata que teve uma época que costurava 300 peças íntimas por dia.

É um serviço que antigamente era uma fisioterapia, Maria explica que trabalhava e esquecia os problemas. Hoje, depois de 37 anos costurando, ela confessa que cansou de costurar porque cansa as vistas, as pernas, a coluna e a mente. Mas, afirma que para quem não têm outras ocupações, costurar é divertido como um hobbie. Para ela, a máquina de costura representa a ferramenta que lhe atribui a fonte de renda da casa.

O técnico de máquinas de costura Valmir Alves da Casa das Máquinas comenta que a loja recebe, em média, 15 máquinas por semana para conserto. Ele destaca que é preciso ter cuidado com a máquina para ela durar mais e para evitar problemas no funcionamento. Ele relata ainda que a máquina precisa de lubrificação para não estragar. A estudante universitária do curso de Letras Mariana Oliveira explica que já perdeu as contas de quantas vezes levou roupas para a costureira fazer reparos, consertar e até mesmo confeccionar. Na casa dela, o pai e a avó também sempre usam o serviço, porque não custa caro e vale a pena.

Com um metro e meio do pano, a aposentada Eunice Costa fez duas bermudas grandes para ela em apenas uma hora. “Essa é a vantagem de quem sabe e de quem não tem preguiça de costurar, faz rápido e bem-feito. A máquina de costura atribuiu mais agilidade no trabalho”, acrescenta.

História

A primeira patente da máquina de costura mecânica foi obtida em 1755, mas arqueólogos estimam que a humanidade costure a mão há mais de 20 mil anos. Foi somente a partir de 1889 que uma máquina de costura para uso doméstico foi projetada em grande escala. E, em 1905, a máquina de costura movida a eletricidade passou a ser largamente utilizada.



A criação da máquina de costura se consolidou depois de anos de aperfeiçoamento por diferentes inventores. Por isso, é possível que a máquina possua o recorde de invenção que levou mais tempo para ser desenvolvida.

A invenção da máquina causava um receio de que o aparelho provocasse o desemprego entre os alfaiates, eles fizeram várias ações para a proliferação da ideia do desenvolvimento da máquina não acontecer. Em 1830, um dos inventores quase foi morto quando os alfaiates atearam fogo à fábrica de máquina de costura.

Publicado no Tendências - Jornal Laboratório da Faesa - Vitória/ES - em Setembro de 2016, edição nº 101.




Galeria de fotos:

...