A mentira faz parte do cotidiano de todo mundo. Pode ser você dizendo que está com calor ou com muita fome, quando, na verdade, você não está tanto e diz que está. Mas isso é tão pequeno que nem contamos como -mentiras de verdade-.
Assistindo Pretty Little Liars (3x16) hoje, pensei sobre isso. Como podem existir pessoas que brincam com as mentiras das pessoas? Mentirinhas, que não machucam a ninguém, até que tudo bem (ou não), mas aquelas mentiras que estragam famílias e relacionamentos são exatamente os piores tipos de todas!
Teve uma época que uma pessoa chegou para mim e disse que ela era uma mentira. Que todo o universo e possibilidades que eu achava que a pessoa era, na verdade, não era. Reagi da melhor forma possível: tentando conversar. Mas como era por internet, o que mais eu podia fazer? Não estava nervosa para fazer algo extremamente estúpido como parar de falar com a pessoa para sempre. Até porque a amizade pode superar muitas coisas, e eu nunca vou esquecer disso. Então eu conversei e ficou tudo bem. Só que eu fiquei meio estranha para com aquela pessoa. Porque eu não sabia quem ela era. Tipo... como assim TUDO era mentira? Ela ficou sem um cartão de entrada na minha mente. Cartão branco. E até hoje está incompleto. Podem ter algumas informações mas nada totalmente válido. Entre chuvas e nuvens.

Vocês já passaram por algo assim? Como reagiram?
Beijos, Ingrid.